O Celulóide

14 12 2010

1. O CELULÓIDE

1.2 – Breve resenha histórica

A capacidade inventiva do homem não tem limites. Por essa razão, não descansou enquanto não descobriu uma forma de registar as imagens que o envolvem.

A ideia não é nova, pois, muito antes da invenção da fotografia, que surge na primeira metade do sec. XIX com as experiências de Louis Jacques Dagerre – porventura o único – que procurava, por volta de 1800, um procedimento capaz de fixar imagens dentro de uma câmara. Existiam outros meios de fixar imagens, lembremo-nos da camera obscura, muito utilizada pelos pintores da idade de ouro do século XVII holandês, mas será contudo, por volta de 1839, que Dagerre conseguirá fixar imagens em placas de vidro e vir ao encontro do espírito positivista da época na procura de imagens representativas de uma burguesia economicamente estável e forte. O governo francês da época compra os direitos autorais, facultando assim, a possibilidade de todos de poderem usar a invenção, com excepção da Inglaterra.

Leia o resto deste artigo »





Recensão do filme “Cinema Paraiso”

8 12 2010

Recensão

“CINEMA PARAÍSO”

(Nuovo Cinema Paradiso)

Giuseppe Tornatore

A. Apresentação

Ao escolher este filme, fi-lo, por ter gostado muito de o ver, e porque eu estive posteriormente na Sicília, em Catania e Agrigento, e revi naquela ilha todo o drama que foi desenvolvido naquela obra.

A Sicília é uma ilha, com muitos potenciais, mas que, segundo a opinião dos seus residentes, ainda “fica” fora da Itália, ou seja está um pouco esquecida.

É uma ilha que ao estar naquele lugar estratégico, sofreu muitas influências, de muitos povos, de muitas raças que por ali passaram e todas deixaram como não poderia deixar de ser as suas influências, as suas marcas.

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: